Você envia suas dúvidas para nós e elas serão respondidas por um especialista!

TIRA-DÚVIDAS

Quanto economizar para passar dez dias no Japão?

Olá! Gostaria de saber quanto devo guardar por mês para passar dez dias no Japão com a minha filha (hoje com 20 anos) em 2020, de preferência para ver as Olimpíadas em Tóquio e passear pelo país. Maria Aparecida

 
Oi querida! Fiz uma busca por pacotes e preços de passagem e hospedagem em Tóquio, descobrindo que o Japão é um destino caro. Por isso estimei R$ 20 mil por pessoa, em 2020, com passagem, hospedagem e passeios, para os seus dez dias na terra do sol nascente. Isso se vocês forem econômicas e fecharem tudo com muita antecedência, tá? 
 
O fator olimpíadas pode inflar ainda mais os custos. Se não for mesmo o sonho de vocês, ou seja, se vocês não forem muito apaixonadas por esportes, sugiro que vão em outra época, gastando menos e, certamente, enfrentando menos filas. 
 
Mas vamos lá para as nossas contas: R$ 40 mil a serem divididos por 46 meses (um pouco menos que o tempo restante para as próximas olimpíadas) vai dar R$ 870 por mês. Vocês conseguem guardar isso, R$ 435 cada uma, dos seus rendimentos mensais? Sugiro que façam algum tipo de trabalho extra para garantir esse montante caso não seja possível tirar dos ganhos fixos. Vale usar uma parte do décimo terceiro salário ou a restituição do imposto de renda também. 
 
Outra dica: vão aplicando esse montante em algum fundo de renda fixa ou, melhor ainda, no Tesouro Direto (desde que sejam títulos que vocês resgatem até o começo de 2020). 
 
Boa viagem! E aproveitem tudo, que o Japão deve ser lindo (morro de vontade de conhecer!). 
 
Beijos, 
 
Isabela Barros 

Posso abrir uma poupança para a minha afilhada?

Olá! Gostaria de abrir uma poupança para a minha afilhada de 2 anos e 6 meses. Como faço? É possível fazer isso mesmo sem ser a responsável legal dela? Josilleny Cristina

Resposta da assessoria de imprensa do Banco do Brasil em Brasília: "A abertura de contas é permitida apenas aos responsáveis legais das crianças."

 

Onde investir o dinheiro dos filhos?

A leitora Priscila Cerqueira quer saber onde investir dinheiro para o futuro dos filhos frente ao cenário econômico atual adverso. Leia o que indica o economista Augusto Saboia.

Tenho uma dúvida que não é só minha, muitos amigos têm falado nisso e considerando o momento econômico atual (instável, pra dizer o mínimo) se tornou uma preocupação maior para o futuro dos filhos. Qual a melhor opção para poupar a longo prazo, para quem tem filhos pequenos, para que eles possam usufruir desse investimento no início da vida adulta?

Priscila, obrigado pela sua pergunta! (ótima)

Para poupar recursos é preciso sim que levar em conta o tempo. Para poupar pequenos valores em curtíssimo prazo, use a poupança (12,6 meses ou menos). Para prazos maiores e valores maiores, utilize as rendas fixas do mercado, CDBs, Tesouro Direto e algumas LCA e LCI. Para prazos médios e longos, pode utilizar fundos de Investimentos, previdências privadas, ações. Hoje temos previdências privadas atreladas ao melhor fundo de investimento do Brasil dos últimos 20 anos. Excelente.

Se for pequenas somas mensais, utilize a poupança como cofrinho e quando tiver valores mais expressivos, transfira para uma renda fixa pois com um valor maior, suas taxas serão bem melhores.

Se quiseres, pode comprar ações de empresas em que você confia, como Itaú, Bradesco, Sadia, ou outras que sejam boas pagadoras de dividendos. As ações têm uma particularidade: não sabemos como será seu comportamento na época da vendo do papel, portanto, quando precisar vender se prepare com um ou dois anos de antecedência. Dessa forma você poderá escolher o dia em que o valor estiver mais alto desde a primeira compra. Além da valorização do papel, você contará com os dividendos que são como um aluguel. Dessa forma você estará participando do desenvolvimento dessas empresas e lucrando com isso.

Parabéns por estar poupando!

Um forte abraço,

Augusto Saboia
Economista e proprietário da Saboia Advisors, empresa de consultoria em planejamento financeiro familiar e para pré e pós aposentadoria

'Não fico no vermelho, mas também não poupo'

Acompanho o blog e hoje consigo ter uma vida financeira mais tranquila e no azul, mas sei que preciso poupar para conseguir comprar uma casa, um carro ou fazer um intercâmbio, e no ritmo em que eu vou, não fico no vermelho, mas também não poupo, fica muito difícil. Tenho poupança programada, mas sempre saco o dinheiro. Estou pensando em comprar um título de capitalização para me forçar a poupar. Tenho lido várias opiniões contra esses títulos, mas acredito que seja melhor poupar, mesmo que os juros sejam quase nulos, do que não poupar. O que vocês me aconselham? Grata. Marcela.

 

Marcela, você já está no caminho certo por conseguir controlar seu orçamento no mês a mês. No entanto, como você mencionou, é fundamental desenvolver o hábito de poupar. Não há o melhor investimento para lhe aconselharmos, mas sim as opções mais adequadas de acordo com seus objetivos. Inicialmente, é muito importante você constituir o que chamamos de reserva de segurança, que é um valor capaz de cobrir de três a seis meses das suas despesas fixas, como aluguel, financiamentos, supermercado, entre outros. Esse valor deve ser alocado em investimentos seguros e com alta liquidez, como CDB ou títulos públicos do tipo Tesouro Selic.

Depois de constituir a reserva de segurança é preciso construir uma carteira de investimentos alinhada com os objetivos de curto, médio e longo prazo. Por exemplo, se você deseja guardar dinheiro para dar entrada em um imóvel em dois anos, não faz sentido colocar todo o seu dinheiro em títulos públicos com vencimento para 15 anos.

O título de capitalização não é considerado como um investimento, pois sua remuneração é muito inferior a outras opções encontradas no mercado, chegando a ser negativa dependendo do prazo em que o resgate é solicitado. Comprar títulos de capitalização apenas para forçar o desenvolvimento do hábito de poupar pode gerar um alto custo com o passar dos anos, pois com um planejamento financeiro adequado e disciplina é possível obter ganhos incrivelmente superiores. Por fim, a ideia de realizar aplicações programadas não é exclusividade dos títulos de capitalização. Existem outras opções de investimentos nos quais isso também é possível, como fundos de investimentos, títulos do tesouro, CDB, entre outros. 

Annalisa Blando Dal Zotto, CFP® 
Diretora geral da Par Mais, empresa de consultoria e planejamento financeiro

 

Como investir no Tesouro Direto?

Dúvida da leitora Jucelia Brandão: Como faço para investir no Tesouro Direto? Vocês poderiam me dar um passo a passo?


Investir no Tesouro Direto é comprar títulos públicos emitidos pelo Governo Federal, que faz isso para financiar atividades variadas, como o investimento em infraestrutura, por exemplo. É por isso que se diz que comprar um título público é emprestar dinheiro ao governo.

Para começar, é preciso ter CPF e conta corrente em alguma instituição financeira. Pode ser um banco ou uma corretora. É possível ver a relação completa das corretoras que trabalham com esse serviço no site do Tesouro Direto. Para escolher a que me atende hoje, eu pedi indicação a amigos. Esse banco ou corretora vai intermediar as suas transações com o Tesouro Direto. Para isso, cobram taxas, claro. Pergunte quais são à instituição que você escolher.

No caso da corretora que eu escolhi, havia a possibilidade de comprar os títulos a partir da plataforma deles, disponibilizada no site deles, ou direto no site do Tesouro. Mas isso depois que te derem uma senha de acesso, depois de concluído o seu cadastro. Eu investi direto no site do Tesouro, sairia mais barato em termos de taxas. Essa informação eu descobri perguntando à minha corretora mesmo, via telefone de atendimento.

Uma vez no site do Tesouro, é só clicar em cima do título que você quer comprar, não é difícil. Achei mais difícil percorrer o caminho que me levou até o site do Tesouro do que a compra em si. Liguei umas três ou quatro vezes para o telefone da minha corretora para tirar dúvidas, mas deu tudo certo, fui bem atendida. E aqui vai outra dica: escolha um banco ou corretora que te atenda bem, que tenha uma boa comunicação com os clientes.

A quantidade mínima para investir é de 1% do valor de um título, com valor mínimo de R$ 30. Você vai ver as opções disponíveis para a venda no site do Tesouro.

Os títulos públicos podem ser pré ou pós-fixados, com rentabilidade atrelada a índices como o IPCA ou a Selic. Importante: os títulos têm sempre um prazo de vencimento, que é a data em que o governo vai pagar a você o dinheiro investido. Quem quiser pode vender os títulos antes desse dia, mas será uma transação sujeita ao valor de mercado no momento, que pode ser maior ou menor que o estipulado para o vencimento.

Mais informações no site do Tesouro Direto, só clicar aqui.

Espero ter ajudado. Querendo conversar mais, só escrever: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Um beijo, bons investimentos,

Isabela Barros

Faça uma simulação para juntar seu primeiro milhão ou quanto suas economias irão render.
Poupadoras.com
Um site de finanças pessoais
para dividir experiências
sobre o dinheiro
  • Assine nosso feed